Maranhão reafirma candidatura ao Governo e defende unidade das oposições: “A Paraíba já perdeu muito”

 O senador Zé Maranhão marcou pontos, neste final de ano, com a confraternização promovida com a Imprensa, na noite desta quinta (dia 28), e aproveitou para firmar duas posições importantes: de um lado, defendeu a unidade das oposições em torno de um projeto comum para 2018, e, de outro, reafirmou a sua pré-candidatura ao Governo do Estado.

O evento foi prestigiado pelo ex-governador Roberto Paulino, o vice-prefeito Manuel Júnior, além de deputados, prefeitos e vereadores do MDB de todo Estado. Mas, também registrou presenças simbolicamente importantes, como o senador Cássio Cunha Lima, o prefeito Luciano Cartaxo, o deputado Damião Feliciano, o presidente do PSDB, Ruy Carneiro, os deputados estaduais Janduhy Carneiro (Podemos), João Henrique (DEM), Lindolfo Pires (PROS), Renato Gadelha (PSC), e o ex-senador Marcondes Gadelha.

Cássio destacou a “relevância desse sentimento de unidade que deveremos confirmar”. Já o prefeito Luciano Cartaxo fez questão de destacar que as oposições, unidas, poderão decidir as eleições do próximo ano, diante do “sentimento crescente da população por um novo projeto para o Estado, que seja capaz de dialogar com as forças da sociedade e dar respostas a questões fundamentais como Segurança Pública, Saúde e Educação”.

Maranhão – Em longa entrevista à Imprensa, Maranhão destacou que as “oposições, se tiverem juízo, irão caminhar para um projeto de união, porque é isso que os paraibanos querem neste momento, a Paraíba precisa de união e não de divisão, a Paraíba perdeu muitos investimentos com a briga política, portanto é nesse linha que iremos pautar o debate para definição de candidaturas no próximo ano”.

Em outro momento, o senador confirmou que sua pré-candidatura pelo MDB está posta, e “se alguém duvidar isso, que me pergunte, para que eu possa tirar qualquer dúvida”.

Ausências – Foi muito comentada a ausência do deputado Veneziano, que estaria deixando o MDB, e senador Raimundo Lira, que viajou para o exterior.

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/
http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.

Da Redação com Roberto Noticia

Cássio diz que não será fim do mundo se oposição tiver mais de uma candidatura na Paraíba

 O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) disse em entrevista nesta quinta-feira (28), em João Pessoa, que ‘não será o fim do mundo se tiver mais de uma candidatura‘.

O senador ressaltou que valoriza a unificação das oposições, mas minimizou o prejuízo caso haja mais de um candidato ao governo do Estado nas eleições 2018.

“Se for possível unificar a oposição em torno de um só nome, será o caminho melhor, mas também não será o fim do mundo se a oposição tiver mais de uma candidatura. Não será nada do outro mundo. Vamos aguardar o início do ano que vem para que as decisões comecem a ser tomadas”, disse o senador.

“No caso específico do PSDB, o partido só irá se manifestar a partir de uma decisão que seja tomada por Romero Rodrigues”, completou.

Entre os candidatos de oposição que podem concorrer nas eleições 2018 para governo do Estado, se destacam José Maranhão pelo MDB, Romero Rodrigues pelo PSDB e Luciano Cartaxo pelo PSD.

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/
http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.

Da Redação com Roberto Noticia

ELEIÇÕES 2018: Cartaxo lidera pesquisa com 41,6% e Lígia Feliciano aparece à frente de João Azevedo

 Às vésperas do início de 2018, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), aparece como favorito na disputa ao Governo do Estado, na capital paraibana. Cartaxo lidera todos os cenários avaliados ainda neste mês de dezembro pelo Instituto 6Sigma, em pesquisa encomendada para consumo interno.

De acordo com os números, aos quais o Portal MaisPB teve acesso, o gestor supera mais do que a soma de todos os possíveis adversários no território pessoense e apresenta uma das mais baixas rejeições entre o eleitorado de João Pessoa, cidade que administra há cinco anos.

Cenário 1 – João Pessoa

No primeiro cenário medido pelo Instituto, Luciano Cartaxo (PSD) surge com 41,6% das intenções de voto. Em seguida aparecem o senador José Maranhão (PMDB), com 10,2%, e em terceiro a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT), com 5,5%.

Lançado pelo PSB há cinco meses, o secretário João Azevedo (PSB) alcança 3,8%, seguido do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), com 3,5%. O número de votos brancos e nulos foi de 22,1%. O percentual de quem ainda não sabe em quem votar ou preferiu não responder foi de 13,3%.

Cenário 2 – João Pessoa

Em uma segunda avaliação, o prefeito da capital segue liderando com 39,7% das intenções de voto. Neste cenário, os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB) e José Maranhão (PMDB) apresentam 10,2% e 9,2%, respectivamente.

O secretário João Azevedo (PSB) fica com 4,8%, acompanhado pela vice-governadora Lígia Feliciano (PDT), com 3,8%. Brancos e nulos somaram 20,8%. 11,5% dos eleitores informaram não saber ou preferiram não responder.

Rejeição – João Pessoa

Luciano Cartaxo surpreende com apenas 4,5% de rejeição na cidade que administra, seguido do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, com 3,3%. Os senadores Cássio Cunha Lima e José Maranhão aparecem com os maiores índices, com 31,1% e 13,5%, respectivamente. Já o secretário João Azevedo apresentou 5,8%, tecnicamente empatado com a vice-governadora Lígia Feliciano, com 5,1%.

Dados técnicos – A pesquisa do instituto 6Sigma foi realizada entre os dias 02 e 07 de dezembro deste ano. Foram ouvidos mais de mil entrevistados, em todas as regiões de João Pessoa. A estratificação da amostra teve como parâmetro os indicadores fornecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), além do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.

Intenção estimulada – Governador (Cenário 01)

Luciano Cartaxo (PSD): 41,6%

José Maranhão (PMDB): 10,2%

Lígia Feliciano (PDT): 5,5%

João Azevedo (PSB): 3,8%

Romero Rodrigues (PSDB): 3,5%

Brancos e nulos: 22,1%

Não sabe e não respondeu: 13,3%.

Intenção estimulada – Governador (Cenário 02)

Luciano Cartaxo (PSD): 39,7%

Cássio Cunha Lima (PSDB): 10,2%

José Maranhão (PMDB): 9,2%

João Azevedo (PSB): 4,8%

Lígia Feliciano (PDT): 3,8%

Brancos e nulos: 20,8%.

Não sabe e não respondeu: 11,5%.

Rejeição estimulada – Governador

Cássio Cunha Lima (PSDB): 31,1%

José Maranhão (PMDB): 13,5%

João Azevedo (PSB): 5,8%

Lígia Feliciano (PDT): 5,1%

Luciano Cartaxo (PSD): 4,5%

Romero Rodrigues (PSDB): 3,3%

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/
http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.
Da Redação com Roberto Noticia e 
MaisPB

Aspol: policiais da Paraíba recebem o pior salário do país

 A Polícia Civil da Paraíba iniciou na manhã desta quarta-feira (27) a paralisação de atividades por 24 horas. Em João Pessoa, os policiais se encontraram na Central de Polícia da capital.

De acordo com a presidente da Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba (Aspol) Suana Melo, a paralisação acontece para manifestar a insatisfação dos policiais com as condições de trabalho que são oferecidas.

“Estamos em protesto contra o pior salário do país, e contra a defasagem salarial dos policias civis, recebemos metade do que se paga em 16 estados. Além disso, a Polícia trabalha com uma estrutura muito deficiente”, relata.

Outro motivo do protesto é o Projeto de Lei que foi aprovado na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Segundo Suana, o Projeto concede privilégios para delegados. “Estamos tendo um tratamento com privilégios para um grupo de delegados que está na gestão. Esse grupo tem atuado de forma arbitrária”, afirma.

Nota oficial

Em nota, a Delegacia Geral de Polícia Civil da Paraíba informou que está acompanhando de perto a manifestação dos Policiais e que já tomou as medidas cabíveis junto com a Procuradoria Geral do Estado.

Ainda de acordo com a nota, as medidas administrativas e disciplinares necessárias vão ser adotadas conforme as situações existentes. A Delegacia também considerou em nota que os motivos que levaram à paralisação foram ‘precipitados’, e se diz aberta ao diálogo com os policiais.

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/
http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.

Da Redação com Roberto Noticia

Mídia Nacional revela que coordenador de Bolsonaro no NE, paraibano é acusado de agressão

 A Folha trouxe em uma de suas matérias a informação de que o coordenador político do deputado federal e pré-candidato a presidente, Jair Bolsonaro (PSC-RJ) no Nordeste, o dirigente partidário Julian Lemos foi por três vezes alvo da Lei Maria da Penha, acusado de agressão pela irmã e pela ex-mulher. Os casos ocorreram em 2013 e 2016. Em um deles, o dirigente foi preso em flagrante.


Lemos é presidente na Paraíba do Patriota, partido ao qual Bolsonaro negocia filiação para se lançar à Presidência em 2018, e aparece em ao menos 20 ocasiões em fotos e vídeos com o pré-candidato.

 

Em um dos vídeos, Bolsonaro chama Lemos de "meu homem de confiança da Paraíba". Em outro, deseja bom final de ano aos paraibanos, em especial a Lemos, que identifica como o seu coordenador político no Nordeste.


Lemos se apresenta como consultor de segurança e diz ter conhecido Bolsonaro quando fez sua escolta em João Pessoa (PB). Os dois aparecem lado a lado na assinatura da pré-filiação de Bolsonaro ao Patriota.

 

Dos três inquéritos, dois foram arquivados após a ex-mulher, Ravena Coura, apresentar retratação às autoridades, dizendo ter "se exaltado nas palavras e falado além do ocorrido".

 

A primeira queixa ocorreu em 2013, ocasião em que ela relatou às autoridades ter sido agredida fisicamente e ameaçada por arma de fogo. Lemos foi preso em flagrante.

Em 2016, a ex-mulher fez nova representação. Segundo relato aos policiais, seu ex-companheiro "é uma pessoa muito violenta" e a ameaçou dizendo: "Vou acabar com você, você não passa de hoje".

 

Seis meses depois, em documento entregue à Justiça pelos advogados de Lemos, ela diz que tudo não passou de uma "desavença banal" e afirma que o ex-marido "é um homem íntegro, honesto, trabalhador e cumpridor de todas as obrigações".

 

Na audiência em que ela se apresentou pessoalmente ao juiz, a ex-mulher disse que já havia perdoado seu ex-companheiro, manifestando o desejo de desistir da acusação.

 

O terceiro inquérito foi aberto em 2016 por representação da irmã do dirigente e está em andamento. Em depoimento aos policiais, Kamila Lemos afirmou ter tentado "apaziguar" uma briga do irmão com a ex-mulher, quando passou a ser ofendida e agredida fisicamente, com "murros, empurrões", tendo sido arrastada pelo pescoço. Laudo do IML confirmou escoriações.

 

Quase um ano depois os advogados de Lemos apresentaram carta com retratação da irmã sob o argumento de que o caso já fora resolvido pelas partes. A Justiça quer, porém, ouvi-la em audiência, que ainda não ocorreu porque Kamila estaria morando na Argentina. Por lei, casos de violência física seguem tramitando, ainda que a vítima desista da queixa.

 

OUTRO LADO

 

O dirigente partidário Julian Lemos negou todas as acusações, repetindo várias vezes que nunca agrediu a irmã ou a ex-mulher.

 

Segundo ele, as representações foram motivadas por momentos de "fragilidade emocional" das familiares.

 

"Ela não vai ser nem a primeira nem a última [a se retratar]. Ou você acha que toda Maria da Penha é aquilo ali que está escrito [na acusação]?" (...) Nunca agredi, nunca, nunca, nunca".

 

De acordo com o dirigente partidário –seu nome é Gulliem, mas ele prefere a simplificação "Julian"–, sua irmã já enviou a ele vídeo o isentando, mas ainda não conseguiu comparecer em juízo para se retratar pessoalmente porque está morando na Argentina.

 

"Eu sou inocente de fato e de direito. Ele [Bolsonaro] com certeza deve ter recebido a informação de que eu sou inocente. Sou uma pessoa muito simples. E, se for prejudicar ele, eu saio no outro dia."

 

Lemos afirmou defender a Lei Maria da Penha e ser contra qualquer tipo de violência doméstica. E que é "armamentista", mas só defende porte de armas para pessoas que estejam sob ameaça. Sua arma é legalizada e fica em casa, afirma.

 

A Folha informou o teor da reportagem à assessoria de Bolsonaro, mas ele não quis se pronunciar.

 

A reportagem também não conseguiu contatar a irmã e a ex-mulher de Lemos.

 

Everson Coelho de Lima, um dos advogados responsáveis por entregar às autoridades as cartas de retratação das duas, afirma que elas mantêm a posição de não prosseguir com a representação.

 

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/

http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.

Da Redação com Roberto Noticia e Folha de São Paulo

 

Manoel Júnior realiza festa de confraternização e reúne amigos e aliados

 O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PMDB), realizou a tradicional festa de confraternização na tarde desta quinta-feira (21), na Chácara Paraíso, na Avenida Beira-Rio, em João Pessoa.

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), o deputado federal, Pedro Cunha Lima (PSDB), secretários, vereadores e aliados políticos, além de várias lideranças peemedebista, a exemplo de Olenka Maranhão, participaram da confraternização.

Ao microfone, o anfitrião embalou a aninação da festa. Manoel Júnior está cantando à toa com a iminência de Luciano Cartaxo deixar a prefeitura para disputar o Governo do Estado.

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/
http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.
Da Redação com Roberto Noticia

 

Ricardo Coutinho surpreende ao cumprimentar Gervásio de “meu senador”, no Auto de Natal da ALPB

 A julgar pelas declarações do presidente da Assembleia Legislativa, Gervásio Maia e o que tem dito o governador nos bastidores, muita coisa pode mudar em termos de candidaturas no Jardim Girassol. Gervásio admitiu em entrevista que pode ser candidato ao Senado se a conjuntura for favorável. “Não é o meu projeto, mas se o cavalo passar selado, eu monto”, disse.

Após a fala de Gervásio, agora foi a vez do governador Ricardo Coutinho (PSB) dá a gestos nessa direção. Segundo testemunhas contaram ao Blog do Anderson Soares, que o governador cumprimentou Gervásio nessa quarta-feira (20), durante o auto de natal da Assembleia Legislativa, como “meu senador”. A saudação surpreendeu a todos que estavam ao redor.

Tudo levar a crer que o gesto não passa de brincadeira, até porque na lógica política não caberiam dois socialistas numa mesma chapa. Caso João Azevedo seja candidato, é difícil visualizar Gervásio concorrendo ao Senado. Da mesma forma, se Lígia for candidata, uma das vagas é de Ricardo e ficaria inviável uma outra para Gervásio. Entretanto, Ricardo gosta de contagiar a lógica.

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/
http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.

Da Redação com Roberto Noticia e Anderson Soares

“DEM tem envergadura para compor majoritária”, avisa Efraim Filho

 Aliado de primeira hora do PSB desde a campanha eleitoral de 2010, o Democratas na Paraíba chegará a 2018 com o mesmo posicionamento de aliado.

Mas, dessa vez quer espaços. Segundo o deputado federal Efraim Filho (DEM), a legenda tem envergadura e nomes, seja para compor uma vice ou uma senatoria, sobretudo pelo tamanho que tem no Estado, com mais de 20 prefeituras situadas em importantes polos do território paraibano.

Os nomes cotados giram em torno do próprio Efraim Filho, e também do deputado estadual Raoni Mendes e do secretário e ex-senador Efraim Filho.

“O DEM está à disposição e tem envergadura política para compor a chapa majoritária, não necessariamente o meu nome e não necessariamente na vaga de vice. Você tem também duas vagas de senatoria e também tem outros nomes que podem compor esses espaços, são nomes técnicos, nomes políticos, nomes que estão chegando e podem agregar, a exemplo do deputado estadual Raoni Mendes, o ex-senador Efraim Morais, então o DEM nesse momento não trata de nomes, mas sim de presenças, de conjunto, de um partido que tem hoje 10% dos prefeitos da Paraíba, cerca de 20 prefeituras importantes, que irradiam polos regionais, a exemplo de Solânea no Brejo, Alhandra no Litoral Sul, São Bento no Sertão, só para citar alguns exemplos e por isso, nessa força política e nessa envergadura é que nós entendemos que temos capacidade sim de participar da chapa majoritária”, arrematou.

Em 2010 Efraim Morais disputou uma vaga ao Senado na chapa do governador Ricardo Coutinho. Em 2012 foi a vez do deputado Efraim Filho figurar como vice na chapa da socialista Estela Bezerra, na disputa pela prefeitura de João Pessoa. Desde então o partido não mais figurou na majoritária e espera em 2018 voltar a figurar na cabeça da chapa.

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/
http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.

Da Redação com Roberto Noticia

Ex-líder da oposição na ALPB diz não ter certeza sobre unidade do grupo na disputa ao Governo do Estado

 O ex-líder da oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba, Renato Gadelha (PSC), não está bem certo de que o agrupamento político que integra no Estado marchará unido nas eleições de 2018. O motivo, na avaliação do parlamentar, é a decisão do PMDB de seguir confirmando a pré-candidatura da legenda ao Governo do Estado.

Com tantas pré-candidaturas postas, Gadelha avaliou que não tem como ter certeza da unidade das oposições. “Não tenho. Porque Maranhão diz que é candidato e não abre mão. Ele tem um partido grande, é um nome forte e já mostrou isso. Foi governador duas vezes, deputado, senador…”, salientou. O deputado avaliou que será necessário esperar as definições. “Não sei quais são os candidatos e se haverá uma mudança de pensamento. Se houver duas ou três (candidaturas) vamos fazer a escolha sabendo quem são os nomes. No momento é tudo hipótese”.

Por ora, as articulações mais avançadas parecem apenas dentro da família Gadelha. O deputado explicou que o grupo terá pelo menos um candidato ao legislativo estadual e um ao Congresso Nacional. “Quem pode disputar o Senado é Dalton Gadelha. Ele tem todas a condições e, se não for, será Leonardo Gadelha. Se alguém for chamado para majoritária facilita, mas não podemos antecipar a chapa porque vai depender das coligações”, justificou, em entrevista a uma rádio da Capital.

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/
http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.

Da Redação com Roberto Noticia

Cássio diz que até Pedro não iria compor chapa majoritária para ‘facilitar’ para Romero

 O senador Cássio Cunha Lima esteve nessa terça (19) no Master News e além de comentar sobre avanços do seu mandato, também adiantou planos para 2018.

O parlamentar começa relembrando que o seu “marco” legislativo em 2017 foi a Lei 1349, que garante um regime de cotas para pessoas com deficiência nas universidades públicas e nos institutos técnicos. Transposição do Eixo Leste e o foco de 2018 será a conclusão em 2018. De forma resumida, ele diz que sua atuação deu de forma ampla.

O senador avalia as recentes crises dentro do “ninho tucano” e diz que isso é coisa do passado. Segundo o senador o PSDB tem todas as chances de ocupar vagas entre os extremos Bolsonaro/Lula: “Alckmin não é carismático, mas o eleitor médio vai buscar estabilidade e segurança para ver o Brasil crescer”.

O momento delicado do impeachment da presidente Dilma Rousseff também entrou na pauta: “As pessoas que votaram em Dilma foram as pessoas que votaram em Temer. Quanto ao impeachment não há arrependimento, pois há crimes graves. Além disso a presidente não tinha mais governabilidade. O país estava se encaminhando para um precipício”. O senador citou como exemplo o desemprego, a falta de credibilidade, os juros e a inflação. “Minha declaração é muito clara, não era o impeachment, e sim novas eleições. Daria tempo de ter feito juntamente com as eleições municipais.

O governo de Michel Temer trouxe de positivo a conclusão da transposição: “Mas aí veio as delações da JBS e ficou impossível”.

Como o faro para a política vem de família, o senador não pode deixar de falar sobre suas convergências e diferenças com seu filho, Pedro Cunha Lima, deputado federal: “Tanto eu quanto Pedro temos críticas severas à reforma da previdência. Sempre fui defensor do trabalhador rural. Eu que ajudei a garantir o salário mínimo integral ao trabalhador rural e a redução da idade miníma do trabalhador do campo”.

Leia Também: Eunício Maia afirma que não há mais tempo para aprovar a reforma da previdência este ano
Ele garantiu que não acredita que Romero saia para ser senador: “Quem deixa uma prefeitura grande como Campina Grande, só abandona por um cargo maior, como governador. Romero tem apoio irrestrito e incondicional para concorrer ao cargo de governador. Estamos aguardando agora a resposta de Romero”.


Ao que parece a candidatura de Romero terá mesmo total apoio do Clã Cunha Lima. Cássio adianta que abrirá mão da reeleição no Senado caso Romero dispute o cargo de governador: “Isso facilitaria por não contar com dois nomes do PSDB para disputar na chapa majoritária”. Mas Cássio não é o único a colocar seu nome ao dispôr de Romero, Pedro Cunha Lima também não disputaria a chapa majoritária para “fazer espaço” para um nome indicado por Romero.

A união das oposições não causa grande comoção ao senador, que se mostra a favor da conversa: “Vamos procurar manter o diálogo para manter um candidato só. Mas não será o fim do mundo termos duas candidaturas. Tenho uma boa relação com Maranhão de trabalhar em conjunto com ele no Senado. E tem Cartaxo, que faz um grande trabalho por João Pessoa. Estamos levando isso com cuidado”.

Leia mais notícias no portal www.1001noticias.com.br -http://www.1001noticiasfm.com/ http://www.1001noticias.com.br/blog/
http://www.tv1001noticias.com.br/ no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.
Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11.

Da Redação com Roberto Noticia