Carnaval 2018: Veja tudo o que rolou no primeiro dia de desfiles do Rio

12/02/2018

 Império Serrano, São Clemente, Unidos de Vila Isabel, Paraíso do Tuiuti, Grande Rio, Mangueira e Mocidade Independente passaram pela Sapucaí

A Império Serrano abriu a
primeira noite de desfiles da elite.
Ao longo de toda a apresentação da escola, não faltaram homenagens
ao sambista Arlindo Cruz — compositor de diversos sambas imperianos internado
desde março do ano passado, quando sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Esposa e filhos de Arlindo participaram ativamente do
desfile da tradicional escola de Madureira (zona norte do Rio), que também homenageou a China. O filho,
Arlindinho, é um dos compositores do samba-enredo; enquanto a esposa, Barbara
Cruz, desfilou apresentando a filha, Flora Cruz, que é porta-bandeira da escola

O Carnaval 2018 do Grupo Especial começou com tudo no Rio de Janeiro! Nesta
madrugada de domingo (11) para segunda-feira, a Marquês de Sapucaí se encheu de
cores com os desfiles das escolas Império Serrano, São Clemente, Unidos de Vila
Isabel, Paraíso do Tuiuti, Grande Rio, Mangueira e Mocidade Independente.
Confira, a seguir, tudo o que rolou
A Império Serrano abriu a
primeira noite de desfiles da elite.
Ao longo de toda a apresentação da escola, não faltaram homenagens
ao sambista Arlindo Cruz — compositor de diversos sambas imperianos internado
desde março do ano passado, quando sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Esposa e filhos de Arlindo participaram ativamente do
desfile da tradicional escola de Madureira (zona norte do Rio), que também homenageou a China. O filho,
Arlindinho, é um dos compositores do samba-enredo; enquanto a esposa, Barbara
Cruz, desfilou apresentando a filha, Flora Cruz, que é porta-bandeira da escola
A São Clemente foi a segunda escola a cruzar a Sapucaí e apresentou uma homenagem à Escola de Belas
Artes (EBA) do Rio de Janeiro, que comemora 200 anos de existência em 2018. Em
busca do título inédito do grupo especial, a agremiação transformou obras de
importantes artistas em fantasias e levou muita cor à avenida. Jean-Baptiste
Debret, Cândido Portinari, Ismael Nery e Pedro Américo estavam entre os
pintores lembrados pela escola. O carnavalesco Jorge Silveira, que é formado
pela EBA, foi o responsável pelo enredo ‘Academicamente popular‘.
O desfile foi praticamente uma aula de história da arte e, no final, exaltou a
importância da escola homenageada no Carnaval do Rio de Janeiro
Quando o assunto é inovação no Carnaval, Paulo Barros não
decepciona. Nesta madrugada de segunda-feira (12), a Unidos de Vila Isabel, escola do
carnavalesco, cruzou a Sapucaí com um desfile totalmente tecnológico para
apresentar o enredo ‘Corra que futuro vem aí‘. O carro abre-alas da
escola, que teve Martinho da Vila a bordo, contava com muitas faixas de LED. Nas
30 alas apresentadas, a agremiação que tem Sabrina Sato como rainha de bateria fez uma viagem no tempo e mostrou as
descobertas do homem até os dias de hoje
A Paraíso do Tuiuti chegou ao Carnaval 2018 com a missão de, além de fazer um belo
desfile, ‘apagar‘ a trágica passagem do ano passado, quando um
acidente na última alegoria causou a morte de uma pessoa. E conseguiu. A escola
apresentou o enredo ‘Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?‘
e fez o público presente soltar a voz com o refrão ‘não sou escravo de
nenhum senhor‘. O desfile falou sobre os 130 anos da Lei Áurea e
apresentou alas marcantes, como a comissão de frente, que retratou a vida na
senzala. A escola começou a apresentação ainda na antiguidade e indicou que a
escravidão permanece até os dias de hoje, porém de maneiras diferentes. O
último carro transformou o presidente Michel Temer em um ‘Vampiro Neo
Liberalista‘ e levou à Sapucaí críticas bem atuais, colocando brasileiros
batendo panelas como fantoches. A escola ainda criticou as reformas trabalhista
e da previdência, como na ala ‘Guerreiros da CLT‘
A Grande Rio entrou na Sapucaí para apresentar uma bela
homenagem ao apresentador Chacrinha, mas não imaginava que teria um problemão
durante o desfile. Um dos carros alegóricos quebrou antes de chegar à avenida e
acabou prejudicando a escola. O ocorrido fez com que se criasse um buraco entre
as alas e atrasou o espetáculo. O carro teve de ser rebocado por dois guinchos,
e a agremiação terminou o desfile com 80 minutos, cinco a mais que o tempo
permitido, o que a fará perder pontos. Fora o incidente, a Grande Rio contou a participação de uma série de celebridades, como Juliana Paes, que retornou
ao Carnaval após dez anos
A Estação Primeira de Mangueira foi a penúltima escola a desfilar, mas mesmo assim conseguiu animar - e muito - o público presente. A agremiação apresentou o enredo ‘Com dinheiro ou sem dinheiro eu brinco‘ e, com 3.500 componentes e 16 alas, relembrou Carnavais do passado
Foi com o enredo ‘Namastê... A estrela que habita em mim saúde a que existe em você‘ que a Mocidade Independente de Padre Miguel defendeu o título do Carnaval do Rio em 2018. A escola fechou o primeiro dia de desfiles na Sapucaí fazendo um ‘casamento‘ entre a cultura da Índia e a do Brasil e destacando as semelhanças entre os países, que existem apesar da distância. A agremiação enfrentou um pequeno problema na hora da dispersão: um dos carros alegóricos parou no local e dificultou a saída dos componentes. Entretanto, a situação foi resolvida rapidamente e o desfile não foi prejudicado
Veja também: Sabrina Sato exibe fantasia ousada em desfile pela Vila IsabelE mais: Juliana Paes volta ao Carnaval do Rio 10 anos após ficar longe da folia
Próximo
A Império Serrano abriu a primeira noite de desfiles da elite. Ao longo de toda a apresentação da escola, não faltaram homenagens ao sambista Arlindo Cruz — compositor de diversos sambas imperianos internado desde março do ano passado, quando sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Esposa e filhos de Arlindo participaram ativamente do desfile da tradicional escola de Madureira (zona norte do Rio), que também homenageou a China. O filho, Arlindinho, é um dos compositores do samba-enredo; enquanto a esposa, Barbara Cruz, desfilou apresentando a filha, Flora Cruz, que é porta-bandeira da escola

Foto: LIANA LOPES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO




Outras Notícias