DISCURSO DE LULA DEPOIS DA CONDENAÇÃO: “Se me condenaram, me deem pelo menos o apartamento, já que é meu”

25/01/2018

 Lula falou pouco mais de vinte minutos no ato na praça da República. Criticou a decisão do TRF-4, citou realizações do governo, e se comparou com Nelson Mandela e Tirandentes. “Esse ato não é de eleição. Ele é infinitamente maior que eleição. É um ato pela soberania nacional”, disse.

Ele falou ainda que nunca teve nenhuma ilusão com a decisão do tribunal. “Porque houve um pacto com o poder Judiciário e imprensa, de que era hora de acabar com o PT. Eles não admitiam mais a ascensão social das pessoas em desenvolvimento.”

No discurso, citou realizações do governo, como expansão do ensino o superior e do crédito e os programas Ciência Sem Fronteiras e Minha Casa Minha Vida. Segundo Lula, a decisão do TRF-4 foi baseada em mentiras.

Lula reforçou que não há provas contra ele. “Quero que eles digam qual foi o crime que cometi. Estou condenado outra vez por um apartamento que eu não tenho”, afirmou. “Se me condenaram, me deem pelo menos o apartamento. Já pedi pro Guilherme Boulos mandar o pessoal dele ocupar. Já que é meu, que ocupem.”

Ele disse também que a decisão é contra o povo brasileiro. “Não quero que vocês fiquem preocupados com o Lula, mas com 200 milhões de brasileiros que vivem de salário neste país. E tudo vai piorar quando aprovarem a reforma da Previdência.”

No discurso, mencionou Tiradentes e Nelson Mandela. “O ser humano pode ser preso. Mandela ficou 27 anos presidente e continuou sua luta. Voltou e foi presidente.”

A CONDENAÇÃO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve sua condenação confirmada no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) na tarde desta quarta-feira (24). O revisor Leandro Paulsen, o relator João Pedro Gebran e o juiz federal Victor Laus votaram por aumentar a pena do petista para 12 anos e um mês de prisão. Em julho de 2017, o juiz Sergio Moro havia dosado a sentença em 9 anos e meio.

Leia Também: Julgamento de Lula decidirá futuro político do ex-presidente da República
A defesa de Lula tem dois dias a partir da publicação do acórdão para apresentar embargos de declaração, que pedem, apenas, esclarecimento da sentença. Já que a votação foi unânime, não cabem embargos infringentes. Paulsen disse que o ex-presidente terá mandado de prisão expedido após o julgamento dos recursos.

Paulsen disse por volta das 16h que a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em desvios na Petrobras é “inequívoca”.

Mais cedo, o juiz federal João Pedro Gebran Neto, relator da apelação do ex-presidente Lula no TRF-4, confirmou a condenação em primeira instância e votou pelo aumento da pena do réu para 12 anos e um mês.

O trio, formado por Leandro Paulsen, João Pedro Gebran Neto e Victor Laus, confirmou a culpa de Lula na acusação de receber propina da empreiteira OAS por meio de um tríplex em Guarujá (SP).

Lula poderá ser preso após os esgotamentos dos recursos na corte. Do ponto de vista eleitoral, enquadra-se na Lei da Ficha Limpa.

Mas como o petista terá direito a recorrer aos tribunais superiores pelo direito de disputar a Presidência, os próximos meses serão de incógnita sobre qual foto representará o PT nas urnas em caso de derrota de Lula nesta quarta.

Fonte: UOL




Outras Notícias