RESPOSTA: Sistema Arapuan desafia Wellington a mostrar pagamentos feitos e especula ‘problemas emocionais’ para saída de comunicador

20/12/2017

 O Sistema Arapuan rebateu nessa terça (19) as acusações de Wellington Farias, em que o comunicador disse que o acordo estabelecido foi rechaçado pela empresa.

Nota
O Sistema Arapuan de Comunicação está presente no cotidiano da Paraíba há mais de duas décadas – período em que construiu uma história de proximidade, intimidade e confiança com os paraibanos.

Mais do que equipamentos e estruturas físicas; mais do que ondas eletromagnéticas que viajam na velocidade da luz e sinais em High Definition, nosso maior patrimônio é a credibilidade – um valor imaterial colhido junto aos paraibanos ao longo desses mais de vinte anos de relacionamento estreito e pautado no respeito mútuo.

Muito chão e muito suor construiu essa parceria.
A partir de uma emissora de rádio, erguemos um sistema de comunicação que reúne sete emissoras de rádio, um portal de notícias e duas TVs abertas que transmitem em HD – feito inédito entre os sistemas de comunicação que operam na Paraíba.

Nosso barco, portanto, nunca esteve tão sólido. E capaz de seguir navegando em direção ao futuro.

No timão dessa embarcação está nosso time profissional – homens e mulheres, pais e mães, que aqui exercitam seus talentos e garantem o sustento de suas famílias.

Pessoas que cuidamos não só com o apoio logístico do dia a dia, mas honrando o compromisso de pagar seus salários rigorosamente dentro do mês trabalhado, o que faz do Sistema Arapuan de Comunicação a empresa que primeiro paga a folha de seus funcionários.

O mesmo procedimento foi adotado em relação a nosso ex-funcionário, o jornalista Wellington Farias. Ao contrário do que sugerem ou explicitam seus continuados ataques à imagem desta empresa, atestamos de público que o Sistema Arapuan de Comunicação não deve um único centavo ao profissional em epígrafe. E a nenhum outro. Mais: não temos demandas trabalhistas nem cobranças judiciais ou extrajudiciais.

A remuneração que foi acertada no seu ingresso foi regiamente paga. O único óbice nesta relação foi provocado por fatores alheios a nossa vontade: Wellington Farias, Sindicato dos Jornalistas e a sua antiga empresa atrasaram a liberação de sua carteira de trabalho, que só chegou a Arapuan no final de novembro.

Desafiamos Wellington Farias a revelar qual o mês, entre agosto e novembro, que ele não tenha recebido integralmente sua remuneração em dia e dentro dos valores acertados com o Sistema Arapuan de Comunicação.

O ditado popular – que, como todo dito nascido da vivência do povo, é calcado na sabedoria empírica – diz que “quem cala, consente”.

E não mais nos calaremos. Pois é sobremaneira injusto consentir que nos sejam imputados ônus que não devemos.

Não nos sentimos no direito de analisar ou especular os motivos – aparentemente emocionais – que fizeram Wellington Farias continuadamente ir à praça pública na tentativa de denegrir a imagem do Sistema Arapuan de Comunicação.

Com sua artilharia, ele tenta macular mais do que a empresa. Tenta atingir, por tabela, nossos profissionais, testemunhas de que os fatos aqui narrados têm a força da verdade.
João Pessoa, 19 de dezembro de 2017

Fonte: Paraíba.Com




Outras Notícias