Justiça mantém prisão de vereador Renan Maracajá, preso na Operação Famintos

23/08/2019
A 4ª Vara da Justiça Federal em Campina Grande manteve, na tarde desta quinta-feira (22), a prisão do vereador de Renan Maracajá
A 4ª Vara da Justiça Federal em Campina Grande manteve, na tarde desta quinta-feira (22), a prisão do vereador de Renan Maracajá

 A 4ª Vara da Justiça Federal em Campina Grande manteve, na tarde desta quinta-feira (22), a prisão do vereador de Renan Maracajá, preso hoje no âmbito da Operação Famintos, da Polícia Federal.

 Renan, que foi preso em casa, no bairro do Alto Branco, é apontado como integrante da Organização Criminosa (Orcrim) investigada na Operação Famintos, deflagrada em Campina Grande e outras cidades.

 Segundo o juiz da 4º Vara Federal, Vinícius Costa Vidor, o parlamentar está envolvido com empresas beneficiadas no esquema que causou um prejuízo de R$ 2,3 milhões. Renan integra a base de sustentação do prefeito Romero Rodrigues (PSD) na Câmara de Campina. Como o vereador foi preso preventivamente, deve gerar mudanças no parlamento municipal e na Secretaria municipal de Educação.

 
PUBLICIDADE

 

 Na primeira vez como candidato em eleições, Renan Maracajá recebeu 4.977 votos, o que corresponde a 2,25% do total de votos válidos. Com a prisão, a presidente da Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG) a vereadora Ivonete Ludgério (PSD) deve convocar o primeiro suplente do vereador, que é o atual Secretário de Educação de Campina, Gildo Silveira, que era Adjunto da Educação e assumiu o cargo com a decretação da prisão e posterior afastamento da ex-secretária de Educação e ex-cunhada do prefeito Romero Rodrigues, Iolanda Barbosa.




Outras Notícias