OPERAÇÃO CALVÁRIO II - Leandro revela que Livânia adquiriu com dinheiro vivo imóvel em Sousa por R$ 400 mil

09/03/2019
Entre outras, Leandro revela que Livânia teria adquirido de um empresário conhecido como Waltão e com dinheiro da propina, um imóvel em Sousa, no valor de R$ 400 mil,
Entre outras, Leandro revela que Livânia teria adquirido de um empresário conhecido como Waltão e com dinheiro da propina, um imóvel em Sousa, no valor de R$ 400 mil,

 Quem se surpreendeu com as declarações de Leandro Nunes Azevedo, ex-assessor e braço direito da secretária Livânia Farias (Administração) ao Gaeco (Grupo Atuação Especial Contra o Crime Organizado), revelando que o dinheiro da propina da Cruz Vermelha gaúcha irrigou a campanha eleitoral de João Azevedo, deve ter ficado ainda mais impressionado com outras picantes inconfidências…

Entre outras, Leandro revela que Livânia teria adquirido de um empresário conhecido como Waltão e com dinheiro da propina, um imóvel em Sousa, no valor de R$ 400 mil, pago em duas parcelas de R$ 200 mil, em dinheiro vivo. Livânia teria usado na operação Aparecida Estrela. E também confirmou que ele próprio adquiriu imóvel no condomínio Bosque de Intermares, usando o nome de sua mãe.

As revelações constam de uma sentença do desembargador Ricardo Vital, relator do processo, determinando a soltura de Leandro, que vazou na Internet, na manhã deste sábado (dia 9).

Sentença – Em sua decisão para liberação de Leandro, em 1º de março, o desembargador Ricardo Vital destacou que atendeu a uma solicitação do Ministério Público, uma vez que o ex-assessor, após seus depoimentos, reunia as condições para ser solto, desde que cumprida algumas exigências cautelares. Falam nos bastidores que Leandro teria deposto por mais de dez horas e explicitado toda a malha criminosa. Com nomes e detalhes.

Dentre as medidas constam proibição de acesso às repartições do Governo do Estado da Paraíba, Proibição de manter contato com testemunhas e outros Investigados da “Operação Calvário”, Proibição de se deslocar a locais com distância superior a 200km da Comarca de João Pessoa, Proibição do exercício de funções públicas e monitoramento pelo uso de tornozeleira eletrônica.

IMÓVEL SUPOSTAMENTE ADQUIRIDO POR LIVÂNIA EM SOUSA…

IMÓVEL ADQUIRIDO POR LEANDRO EM INTERMARES




Outras Notícias