‘Trabalho para que meu nome seja para isso’, afirma Pedro Cunha Lima sobre interesse nas eleições de 2020

03/05/2019
O parlamentar tratou de alguns assuntos como a convenção estadual do PSDB, as eleições 2020 e também sobre a polêmica Operação Calvário
O parlamentar tratou de alguns assuntos como a convenção estadual do PSDB, as eleições 2020 e também sobre a polêmica Operação Calvário

 O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), nesta sexta-feira (03), foi o entrevistado do programa Arapuan Debate. O parlamentar tratou de alguns assuntos como a convenção estadual do PSDB, as eleições 2020 e também sobre a polêmica Operação Calvário.

Sobre a convenção do partido que acontece neste domingo (05), no hotel Hardman em Manaíra, a partir das 09h, Pedro afirmou que vivemos um momento muito mexido na política estadual.

“A gente vive um momento muito mexido na política e a nível estadual e começa a conhecer e entender que é uma organização criminosa que governa a Paraíba. Não é brincadeira o que a Operação Calvário tem mostrado, tem prisão, delação, entrega de propina.Você não consegue enganar as pessoas eternamente, vamos mostrar quem é o chefe de quadrilha do Estado.”

FUTURO DO PSDB

“Tivemos uma baixa com saída do prefeito Romero Rodrigues, é um quadro que não tem como não se dar falta, houve uma circunstância partidária estadual,  por mais que exista uma mudança o trabalho em conjunto continua. Nada mudou, a minha busca é em enfrentar os erros, sou representante das pessoas, na política o que eu busco é fazer com que o enfrentamento a esse sistema podre exista.”

ELEIÇÕES 2020

“Trabalhamos para ter uma candidatura própria, o partido quer crescer, quer trabalhar para isso. E essa conversa eleitoral será aprofundada ano que vem. Questionado se o nome estaria na disputa ele respondeu:  “Trabalho para que meu nome seja para isso.”

Leia Também:   Durante cerimônia no Piauí General Mourão afirma que Brasil precisa de mais entendimento

REFORMA DA PREVIDÊNCIA 

“Quem mais precisa do ajuste fiscal, são os desempregados, quem não tem uma oportunidade de emprego precisa de uma mudança na economia. Se tiver trabalhador rural não tem como fazer reforma, temos essa posição crítica pelo momento que o Brasil vive, o Brasil elegeu Bolsonaro a gente precisa fazer mudanças não vai colaborar só fazer críticas, mas existe um espírito de unidade para melhorar o país.”

EDUCAÇÃO 

“Eu não sou reacionário de qualquer proposta que vem do governo, a gente vive um momento difícil e precisamos  dar um novo rumo na educação do país. O problema da educação brasileiro é técnico e a solução será técnica.”

 

 

 




Outras Notícias