GRANDE NOME NA PARAÍBA: morre Lilia das mangueiras, a mulher que ensinou Cajazeiras a Amar

20/04/2021
Faleceu nesta terça-feira (20), Lilia das mangueiras, conhecida como a mulher que ensinou Cajazeiras a Amar
Faleceu nesta terça-feira (20), Lilia das mangueiras, conhecida como a mulher que ensinou Cajazeiras a Amar

 Faleceu nesta terça-feira (20), Lilia das mangueiras, conhecida como a mulher que ensinou Cajazeiras a Amar.

De acordo com informações recebidas pela Polêmica Paraíba, LiliaLilia (83 anos), ela sofreu um infarto fulminante, e foi encontrada morta em sua residência.

Vinda de uma região simples especificamente do sítio Cacaré na zona rural de São José de Piranhas, de uma família de doze irmãos, Maria de Jesus fez história na cidade de Cajazeiras pelo seu bordel na Br 230.

Foram mais de 40 anos de sucesso nas Mangueiras que perdura até hoje na boca dos cajazeirenses quando se deparam com situações de ‘bagunça’: “Tá parecendo o Cabaré de Lilia […]”

Família

Recebeu apoio da família após começar a ganhar dinheiro e segundo a ‘professora do amor’, bancou os pais e irmãos com seu trabalho e espírito empreendedor. “Para minha família era Deus no céu e eu na Terra”, confessou.

Após ser feita a BR-230 passando por Cajazeiras, ela recebeu um conselho do pai: ‘minha filha compre um terreno perto da BR e faça um bar’; assim ela fez o bar, e fez mais, a boate, churrascaria, motel […]

Clientes

“Só andava nas Mangueiras quem tira dinheiro, era tudo caro e fiado nunca. Ninguém nunca esqueceu de pagar, porque sempre queriam voltar”; orgulhou-se a profissional do sexo.

 

Em momentos da entrevista nomes são citados como clientes, “tinha político de toda a região”; “Muitos me procuravam para conversar, desabafar, receber meus conselhos”. Disse.

Afirmou que muitos cantores famosos após os seus shows no Clube primeiro de maio iam ao bar, a exemplo de Cauby Peixoto, Nelson Gonçalves, Altemar Dutra, entre outros.

Lilia lembrou de episódios ocorridos dentro do estabelecimento quando as esposas resolveram aparecer no local. “Tinha esposa que ia toda semana lá, parece que ela gostava de ir. Mas nunca dava confusão, era um bar de família”. Discorreu a dona do local.

Filhos

“Nunca me casei nem tenho inveja disso, nunca me faltou homem. Tive muitos, mas amei apenas um”, revelando o nome do único amor que morreu jovem em um trágico acidente.

Relatou ter uma filha que mora em São Paulo, um outro que morreu aos 15 anos vítima de choque elétrico, um adotivo, e confessa: “Foram 25 abortos”.

Disse não se arrepender de sua história, “tive tudo o que as casadas tiveram”. E finalizou: “Vou morrer assim, de uma hora para outra, quando estourar a bomba: morreu Lilia das Mangueiras! Por que é assim que vou morrer sendo.”

 

 

 

 

 


Compartilhe:


Outras Notícias

-