Mesmo com greve dos professores, UFPB informa que calendário 2024 continua vigente

Por Jacyara CristinaRedação Por Redação - 14/06/2024 13:00
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação

 A Universidade Federal da Paraíba (UFPB), informou nessa quinta-feira (13), por meio da Reitoria, que até o momento o calendário acadêmico do período letivo de 2024.1 segue vigente.

O anúncio foi feito após a confirmação da greve dos professores da UFPB que paralisaram as atividades desde a segunda-feira do dia 3 de junho, por tempo indeterminado. A informação foi confirmada pelo Sindicato dos Professores da UFPB (ADUFPB). A greve foi aprovada na última quarta-feira, 29 maio,  após uma assembleia realizada no Centro de Vivência do campus I, em João Pessoa.

Greve na UFCG

Os docentes da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) também estão em greve por tempo indeterminado, desde a segunda-feira (10). A informação foi confirmada pela Associação de Docentes da UFCG (ADUFCG). A paralisação foi aprovada na última quinta-feira, 06 junho, após uma assembleia realizada com os servidores.

A proposta rejeitada

Os docentes rejeitaram a proposta do Governo Federal, realizada pelos Ministérios da Educação (MEC) e da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), que propôs para os docentes de institutos e universidades federais um aumento de salário  que vão de 23% a 43% até 2026, considerando o reajuste de 9% já garantido em 2023 pelo governo Lula, depois de seis anos sem reajuste. O salário inicial de um docente passaria de R$ 9.916 (salário em abril de 2023) para R$ 13.753. Já o salário para professor titular, no topo da carreira, iria de R$ 20.530 (abril de 2023) para R$ 26.326.



Compartilhe:


Outras Notícias


  • Deputado Ruy Carneiro volta a atacar juiz responsável por sua condenação no Caso Desk

  • Curral de Cima promove a 15ª Cavalgada em Defesa do Meio Ambiente no dia 28 de julho

  • RECONHECIMENTO - “É muito bom fazer parte de um governo que vem trabalhado pela Paraíba”, diz Lucas Ribeiro

avançar voltar