Governo da Paraíba deve realizar novo concurso para professor com duas mil vagas em 2024, revela João Azevêdo

Por Roberto Notícias Por Roberto Notícias - 16/01/2024 19:40
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação

 Governo da Paraíba deverá realizar um novo certame público para professor em 2024. A informação foi detalhada pelo governador João Azevêdo (PSB) durante solenidade em Alhandra, Litoral Sul do estado.

“A gente tem feito com que se respeite piso salarial, se faça concurso, fizemos para 2 mil professores e vamos fazer para mais 2 mil professores esse ano”, disse o governador ao ser questionado pela imprensa sobre as medidas adotadas pela gestão estadual em relação a valorização do magistério.

“Tudo isso é exatamente na direção de fazer com que, a estrutura física muito boa mas tenha profissionais qualificados. Ontem mesmo anunciamos a manutenção do piso dos profissionais”, acrescentou Azevêdo ao longo da coletiva.

Salários dos prestadores de serviço

De acordo com o gestor, o estado pretende que até 2026 o prestador de serviço que atua como professor ganhe o mesmo que um docente efetivo.

“Demos o mesmo percentual para o prestador de serviço também, para que a gente possa continuar avançando. A nossa meta é até 2026 fazer com que o prestador de serviço ganhe igual o professor efetivo”, revelou.

Receba notícias do Portal 1001 Notícias no seu WhatsApp e fique bem informado!

CLIQUE AQUI: https://chat.whatsapp.com/Hemy9YcP49JEvzOrTfbDk

INSTAGRAM - https://www.instagram.com/portal1001noticias/?hl=pt-b

Dúvidas, Críticas, Sujestões? Fale com a gente! Ligue (83) 9 88 66 - 50 11.

Email - redacão1001noticias@gmail.com

Roberto Notícia - Jornalista - DRT 4511/80.

 


Compartilhe:


Outras Notícias


  • PREVISÃO DO TEMPO - João Pessoa registra chuva forte e trovões; meteorologia alerta para perigo

  • Federação rachada em João Pessoa: PSDB com Ruy Carneiro e Cidadania com Cícero Lucena

  • POSICIONAMENTO - Adriano Galdino diz respeitar opinião de João Azevêdo, mas não volta atrás em análise política sobre 2026: “Falo o que penso”

avançar voltar