Especialista alerta para a organização das contas para não passar aperto

Por Jacyara CristinaRedação Por Redação - 31/01/2024 23:12
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação

 O início de ano implica em um maior número de gasto. Entre os principais custos estão o IPVA, IPTU e matrículas escolares, haja vista que a volta às aulas começa a partir do início do mês de fevereiro.

Acerca desses compromissos financeiros nos primeiros meses de 2024, o especialista em finanças e coordenador do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Anhanguera Gildenor Pereira Leite Filho, indica que o IPVA, por exemplo,  é importante informar-se diante dos estados que oferecem descontos para pagamentos feitos à vista ou até uma determinada data. “Fique atento a isso para conseguir uma melhor condição e ficar livre logo dessa despesa".

Gildenor explica que o percentual da alíquota cobrada varia de um estado para o outro e tem como referência o valor do veículo na tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas). Já as datas de vencimento e os descontos são definidos por estado.

Já sobre o IPTU, sigla para Imposto Predial e Territorial Urbano, a cobrança é feita para todos que têm alguma propriedade imobiliária urbana no país, seja um imóvel ou terreno. “A responsabilidade pela cobrança é de cada município e também variam em cada região. Priorize o pagamento à vista, pois dessa forma, há uma quantidade maior de desconto”, destaca

O especialista avalia ainda as despesas com filhos, tanto em matrículas quanto ao custo na compra de materiais escolares. “Quem tem filhos, sabe que são muitos os gastos neste primeiro mês do ano como matrículas, materiais escolares, uniforme. Nessa volta às aulas é essencial fazer cálculos para não gastar mais do que se deveria”, alerta. 

Nesse contexto, Gildenor ressalta que a educação financeira é essencial a fim de quitar todas essas dívidas sem prejudicar o orçamento. Confira algumas dicas do contador:

Orçamento Pessoal: Revise e atualize seu orçamento pessoal. Analise suas despesas, receitas e estabeleça metas financeiras para o ano. O ideal é montar uma planilha com todas as contas e definir prioridades;

Use o décimo terceiro se precisar: Guardar essa grana extra contribui para aliviar dívidas e cobrir as despesas chamadas sazonais. O ideal é evitar sempre gastar esse dinheiro com presentes, por exemplo, fator muito comum nos períodos de Natal e fim de ano;

Não compre grande: Moto, carro, televisão, é mesmo necessário fazer essa aquisição no primeiro trimestre? Vale repensar;

Sempre peça desconto: Não tenha vergonha de pechinchar, principalmente se vai pagar à vista. Vendedores têm uma margem de negociação, portanto, aproveite-se disso;

Orçamento: Faça um orçamento detalhado para entender suas despesas essenciais, como moradia, alimentação, transporte e contas. Isso ajudará a identificar áreas onde você pode cortar gastos desnecessários;

Reavaliar Contratos e Planos: Verifique contratos de serviços como internet, telefone e TV a cabo. Talvez seja possível renegociar ou encontrar planos mais econômicos;

Refeições em Casa: Reduza a frequência de refeições fora de casa. Cozinhar em casa é geralmente mais econômico do que comer em restaurantes;

Assistência Profissional: Se necessário, consulte profissionais financeiros, como contadores, planejadores financeiros ou consultores de investimentos, para obter orientação personalizada. Lembre-se de que cada situação financeira é única, e essas sugestões podem variar dependendo das suas circunstâncias pessoais. No entanto, uma revisão abrangente das suas finanças no início do ano pode ajudar a estabelecer bases sólidas para o restante do ano.

 Deiwerson Damasceno



Compartilhe:


Outras Notícias