França reabre fronteiras no dia 9, mas coloca Brasil na lista vermelha

05/06/2021
Foto: reprodução
Foto: reprodução

 Brasileiros, mesmo vacinados com imunizantes que serão reconhecidos pela França, como os desenvolvidos pela AstraZeneca e pela Pfizer, estão na lista vermelha para entrar na França. Nessa sexta-feira (4) o país anunciou a reabertura das fronteiras a partir do dia 9.

Acredita-se que a estratégia é para atrair turistas com equilíbrio e controlar o vírus e a entrada de brasileiros dificultada devido à falta de controle sanitário do país.

As modalidades de abertura para os países variam de acordo com a situação sanitária. Os países são classificados por cores – verde, laranja e vermelho – e da vacinação.

 — Foto: Reprodução

Os países classificados como verdes no documento sobre a “estratégia de reabertura das fronteiras’’ estão sem circulação ativa do vírus e sem variante preocupante identificada. Estão na lista países do espaço europeu, Austrália, Coreia do Sul, Israel, Japão, Nova Zelândia, Cingapura. Não será exigido de seus cidadãos um teste PCR ou de antígeno, a menos que a pessoa não esteja vacinada.

Já países classificados em vermelho são os que tem “circulação ativa do vírus, e presença de variantes preocupantes”: Brasil, Argentina, África do Sul, Bahrein, Bangladesh, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Índia, Nepal, Paquistão, Sri Lanka, Suriname, Turquia, Uruguai.

Nesse caso, será exigido do brasileiro, portanto, a justificativa de motivo imperioso necessário para entrar na França. Também será preciso apresentar no embarque o resultado negativo de um teste PCR realizado menos de 36h antes do voo ou resultado de um teste PCR realizado antes de 72h acompanhado de um teste de antígeno (que pode dizer se a pessoa está infectada) feito menos de 24h antes do voo. Além disso, na chegada à França, cada pessoa proveniente do Brasil – a menos que seja no caso de trânsito de menos de 24h em zona internacional – será submetida a quarentena de 10 dias, com restrições de horário de saída do local do isolamento, sob pena de multa. Essa exigência já era feita pelo governo de Macron desde abril por causa do descontrole da epidemia no país.

Os passageiros brasileiros também deverão apresentar uma justificativa para comprovar endereço e dar acesso aos agentes de controle ao local onde cumprirão a quarentena. O governo francês também aconselha os franceses a não viajarem ao Brasil.

Os demais países estão classificados em laranja e são aqueles com “circulação ativa do vírus em proporção controlada, sem difusão de variantes preocupantes”. Nesta situação estão o Reino Unido e os EUA. Também um teste PCR ou de antígeno é exigido mesmo se o viajante britânico ou americano está vacinado. Sem isso, será necessário um motivo imperioso e um teste negativo e também isolamento de sete dias.

As vacinas admitidas pela França são as reconhecidas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês): Pfizer/BioNTech, Moderna, AstraZeneca/Oxford e Johnson & Jonhson. A União Europeia, com seu passaporte de vacinas, vai dar flexibilidade para cada país europeu na prática aceitar outras vacinas que as reconhecidas pela EMA. Assim, alguns países europeus poderão reconhecer a Coronavac, que a França no momento não aceita.


Redação com informações do Valor Econômico



Compartilhe:


Outras Notícias

-

  • Juliette lamenta 500 mil mortes por Covid-19, cita drama familiar com a doença e acusa “negligência” do governo Bolsonaro

  • Anitta atualiza marquinha de biquini em viagem à República Dominicana

  • Juliette é criticada na web por aglomerar sem máscara com Carlinhos Maia: “Acabou a covid-19, né?” – VEJA VÍDEOS

avançar voltar