Prefeita Dalva Lucena, de Lagoa Seca desiste de disputar reeleição nas eleições de 2024

Por Roberto Notícias Por Roberto Notícias - 05/03/2024 10:01
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação

 A prefeita de Lagoa Seca, Dalva Lucena (PSDB), anunciou sua desistência de concorrer à reeleição, nesta segunda-feira (4). A prefeita afirmou que a motivação foi pessoal, destacando a saúde de seu esposo, o ex-prefeito Edvardo Herculano de Lima, que enfrenta decorrentes da Covid-19.

No entanto, especula-se que a decisão de Dalva também pode estar relacionada à avaliação negativa de sua gestão em pesquisas de opinião. Com a desistência de Dalva, o grupo governista lançará a secretária de Assistência Social, Michelle Ribeiro, como sua candidata à prefeitura de Lagoa Seca.

Dalva assumiu o cargo em 2022, após a renúncia do então prefeito Fábio Ramalho (PSDB), que decidiu disputar uma vaga de deputado estadual.

“Sinto que nesse momento Edvardo precisa mais de mim como nunca precisou. Ele está muito debilitado, principalmente porque enfrenta graves sequelas deixadas pela Covid-19. Nosso Edvardo só não nos deixou porque Deus não quis e por isso, me acho na obrigação de, nesse momento difícil de nossas vidas, continuar ao lado dele”, declarou a prefeita.

Receba notícias do Portal 1001 Notícias no seu WhatsApp e fique bem informado!

CLIQUE AQUI: https://chat.whatsapp.com/Hemy9YcP49JEvzOrTfbDk

INSTAGRAM - https://www.instagram.com/portal1001noticias/?hl=pt-b

Dúvidas, Críticas, Sujestões? Fale com a gente! Ligue (83) 9 88 66 - 50 11.

Email - redacão1001noticias@gmail.com

Roberto Notícia - Jornalista - DRT 4511/80.  



Compartilhe:


Outras Notícias


  • PREVISÃO DO TEMPO - João Pessoa registra chuva forte e trovões; meteorologia alerta para perigo

  • Federação rachada em João Pessoa: PSDB com Ruy Carneiro e Cidadania com Cícero Lucena

  • POSICIONAMENTO - Adriano Galdino diz respeitar opinião de João Azevêdo, mas não volta atrás em análise política sobre 2026: “Falo o que penso”

avançar voltar