Ricardo Coutinho ameaça fazer revelações e avisa “não sou um Zé Mané”

19/09/2019
Ricardo Coutinho ameaça fazer revelações e avisa “não sou um Zé Mané”
Ricardo Coutinho ameaça fazer revelações e avisa “não sou um Zé Mané”

 Ricardo Coutinho concedeu, dias atrás, uma longa entrevista à TV Diário do Sertão.

Veja alguns trechos dessa entrevista.

“Nunca vi Adriano (Galdino) em nenhuma reunião do partido. Tem gente falando com tanta propriedade do PSB, que eu fico arrepiado. Ou eu estou com uma crise de memória, e não lembro, ou essas pessoas eram fantasmas nas reuniões do partido.

“Tem gente falando sobre o partido como se tivesse sido construtor. E só apareciam em época de convenção, na festa dos candidatos.

“É hora de baixar a bola. Ninguém está lidando com um Zé Mané, mas com um companheiro que sabe de algumas coisas.

“Vou lutar muito para que este Estado não seja apropriado indevidamente pela velha política.

“Eu não preciso de cargos (…) Eu simplesmente quero que o caminho que foi definido, e para o qual eu fiz um sacrifício, que foi não disputar as eleições para o Senado; quero que esse caminho seja preservado. É um direito meu. Se alguém não quer preservar, aí sim, nós haveremos de nos tornar adversários. Mas não é isso que eu vejo.

“(que o governador) Não se deixe envolver por alguns que estão ao seu redor, destruindo tudo. E são poucos, mas estão lá. Outros estão na Assembleia. Espero que ele não se envolva com isso e, definitivamente, afaste essas pessoas e possa retomar o caminho que o povo votou.

“Por que algumas pessoas, que são poucas, não querem que eu presida o PSB nessa reestruturação? O que é que está por trás disso? Podem dizer, que eu não tenho qualquer problema de ouvir e me posicionar. Acho que é uma mesquinharia muito grande, de não reconhecer o meu esforço, para com essas pessoas, inclusive.

“Todos que estão falando de mim se aproveitaram do meu governo para chegar onde chegaram.

“Não se pode dividir o Estado como se fosse capitania hereditária. E o então chefe do Gabinete Civil, me refiro a Nonato Bandeira (atual secretário de Comunicação), estava fazendo isso. E hoje você tem na Assembleia Legislativa uma situação muito dramática para o governo.

“Se você juntar a oposição com o grupo que diz que não é nem situação nem oposição (chamado de G11) tem uma maioria perigossisima contra o governo. Eu alertei e disse que isso faria mal.

“Estou sempre à disposição do governador, porque é o meu dever agir dessa forma. Ao que se consta, não tem nada de rompimento.

“O prefeito de Sousa (Fábio Tyrone) foi muito pressionado (para recuar acerca da dissolução do diretório do PSB). Ou seja, é o Estado interferindo na disputa de um partido. Espero que o governador João Azevedo não saiba disso. E, ao saber, espero que ele tome as providências contra quem estava usando o poder numa disputa interna e partidária, o que é inadmissível.

“Eu sei ser companheiro. Eu não abandono ninguém. Não abandono companheiros no meio de uma caminhada.

“Que o governo se vacine contra os aproveitadores e contra a velha política”.
* fonte: com informações da coluna Aparte, assinada pelo jornalista Arimatéa Souza e publicada no paraibaonline.com.br 

 




Outras Notícias