Ainda não é o ano dos carros elétricos, mas as opções híbridas devem ganhar força, aposta especialista

Por Jacyara CristinaRedação Por Redação - 05/02/2024 20:01
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação

 O ano de 2023 foi um grande marco para a descarbonização da indústria automotiva no Brasil. Cerca de 94 mil unidades de veículos eletrificados foram licenciados, segundo a Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Este volume, que corresponde a aproximadamente 4,3% do total de veículos emplacados, foi o maior registrado até hoje no segmento.

 

No entanto, embora muito se fale dos veículos totalmente elétricos, apenas 19,3 mil unidades desta modalidade foram emplacadas, enquanto os híbridos corresponderam a 74,6 mil. Entre eles, a principal diferença é o motor, já que os elétricos usam energia 100% elétrica, e os híbridos usam tanto combustíveis fósseis quanto eletricidade para o funcionamento.

 

Para Tatiana Bonifácio, gerente da Gaudium, empresa de tecnologia com soluções para os setores de mobilidade e logística, veículos elétricos ainda têm importantes desafios para ultrapassar antes de se popularizarem. "A preocupação do setor automotivo com a sustentabilidade e a diminuição da emissão de gases CO₂ na atmosfera já é um movimento em crescimento no Brasil, mas o custo dos carros e as poucas estações de recargas são ainda os principais impeditivos dessa movimentação", diz.
 

De acordo com a Anfavea, espera-se que sejam emplacados 142 mil unidades de veículos eletrificados este ano, sendo 117,9 mil híbridos e 24,1 mil de elétricos. No que tange a mobilidade urbana, ações para a descarbonização da indústria já estão em andamento, como é o caso da 99, que no ano passado lançou uma frota de elétricos para realizar o transporte de passageiros.

 

Para Bonifácio, olhando o cenário geral das plataformas de corridas de passageiros e saindo das grandes capitais, este ainda não deverá ser o ano dos elétricos, mas as perspectivas já são melhores para os híbridos. "Além do custo, a falta de suporte em regiões interioranas faz com que o interesse pelos veículos 100% elétricos ainda seja baixo. No entanto, veículos híbridos podem ser mais atraentes a partir do olhar sustentável, e pela autonomia superior que desempenham", pondera.

 

Sobre a Gaudium
Gaudium, dona da Machine, é uma empresa de tecnologia criada em 2011 pelo cientista da computação Bruno Muniz e pelo engenheiro Ricardo Góes. Hoje, a startup é focada nos mercados de mobilidade e logística, e já participou de dois Programas de Aceleração Scale Up da Endeavor. Em 2023 foi eleita a 4° melhor pequena empresa para se trabalhar no Rio de Janeiro pela GPTW. Além da Machine, a empresa é dona do 55content, portal de conteúdo sobre tecnologia, negócios, mobilidade e logística.

 

Rafaela Martins Soares

 



Compartilhe:


Outras Notícias


  • PREVISÃO DO TEMPO - João Pessoa registra chuva forte e trovões; meteorologia alerta para perigo

  • Federação rachada em João Pessoa: PSDB com Ruy Carneiro e Cidadania com Cícero Lucena

  • POSICIONAMENTO - Adriano Galdino diz respeitar opinião de João Azevêdo, mas não volta atrás em análise política sobre 2026: “Falo o que penso”

avançar voltar