Bloco Cafuçu completa 35 anos em 2024; diretor Buda Lira fala sobre história e programação

Por Jacyara CristinaRedação Por Redação - 08/02/2024 18:46
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de ComunicaçãoReceba notícias do Portal 1001 Notícias no seu WhatsApp e fique bem informado! CLIQUE AQUI: https://chat.whatsapp.com/Hemy9YcP49JEvzOrTfbDkY INSTAGRAM - https://www.instagram.com/portal1001no
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de ComunicaçãoReceba notícias do Portal 1001 Notícias no seu WhatsApp e fique bem informado! CLIQUE AQUI: https://chat.whatsapp.com/Hemy9YcP49JEvzOrTfbDkY INSTAGRAM - https://www.instagram.com/portal1001no

 O Cafuçu celebrará neste ano 35 anos de muita alegria, muganga e outras milongas. O desfile 2024 acontece nesta sexta-feira (9) com o início da concentração às 20h e previsão de desfile à meia noite. Durante entrevista ao programa 60 Minutos, do Sistema Arapuan de Comunicação, o diretor do bloco, Buda Lira, falou sobre a festança que acontecerá nas três tracionais praças do centro histórico de João Pessoa: Ponto de Cem Réis, Praça Rio Branco e Praça Dom Adauto.

O desfile sairá do Ponto de Cem Réis e percorrerá a Rua Visconde de Pelotas, cruzando a lateral das praças de concentração em direção a Av. General Osório e, na altura do edifício 18 andares, o cortejo desse a ladeira em direção à Rua da Areia.

A animação nos três palcos será feita por DJs, bandas orquestras de frevo, ficando cada uma das três praças com três atrações. A projeção feita para o desfile é que 15 orquestras de frevo puxem o cortejo que se encerra na Praça Antenor Navarro, no centro histórico.

Duas atrações já foram confirmadas pela Funjope/Prefeitura de João Pessoa: o cantor Ronaldo Rossi e a Banda Tracundum.

Serão seis horas de festa, somadas as cinco horas de concentração do bloco (das 20 a 24h) e uma hora de desfile, entre a cidade alta para o varadouro, na cidade baixa, percorrendo as ruas e ladeiras históricas de João Pessoa,

Bloco Cafuçu já tem história

Em 1989, é criado o Bloco Cafuçu na esteira da retomada do carnaval de rua da cidade. Até segunda metade da década de 1980, o carnaval em João Pessoa vivia um período de declínio, sem o brilho dos carnavais que marcaram as festividades nos clubes e de rua até as décadas anteriores.

Com o ressurgimento do movimento carnavalesco a partir da criação do bloco Muriçocas do Miramar, em 1997, um grupo de artistas de cinema e de teatro resolveu criar o seu bloco e, inspirado numa expressão muito usada por uma de suas fundadoras, deu o nome de “Cafuçu”.

Ao longo dos seus 35 anos da fundação, o bloco tomou iniciativas que resultaram na grande aceitação por público em João Pessoa, com repercussão dentro e fora do estado da Paraíba, merecendo destaque na mídia nacional e até inspirando a criação de blocos em Cajazeiras-PB, Brasília-DF e Recife-PE.

Dentre as boas iniciativas, destacam-se a transferência do seu desfile da orla marítima para o centro histórico da cidade, na mesma área em que outrora fervilhava o “quartel-general” do carnaval de rua da cidade, a troca de surrados trios elétricos por orquestras de frevo e, por fim, a inserção do repertório de músicas consideradas bregas.

O compromisso dos principais fundadores do bloco com o desenvolvimento cultural e a sustentabilidade do carnaval de rua fez com o que o Cafuçu inventasse coisas e se reinventasse. Desse modo, surgiram o Baile do Cafuçu (1993), Forró do Cafuçu (1996), produção do CD “As Dez Mais do Cafuçu” (2007), Criação da Difusora Cafuçu no Baile Cafuçu em 1998, inspirada nas difusoras dos parques de diversão.

Fábrica de Cenografia e Adereços – ação social do Cafuçu

Projeto em andamento que tem como objetivo a formação nas áreas artísticas e técnicas, voltada para jovens da rede pública de ensino, especialmente o publico de baixa renda. Em sua etapa final, as ações compreendem os cursos de artes visuais, marcenaria, eletricidade básica, corte e costura e cenografia, sendo concluída com a decoração das três praças de concentração do bloco Cafuçu. O projeto foi realizado em parceria com a Casa Pequeno Davi.



Compartilhe:


Outras Notícias


  • Prefeita Dalva Lucena, de Lagoa Seca desiste de disputar reeleição nas eleições de 2024

  • ELEIÇÕES 2024 - Após deixar PSDB, Léa Toscano se reúne com Veneziano na sede do MDB

  • Secretário Thiago Diniz desiste de pré-candidatura à Câmara de João Pessoa e vai permanecer na PMJP

avançar voltar