Caso Padre Zé: Ministério Público abre novo procedimento para investigar desvio de recursos no hospital

Por Roberto Notícias Por Roberto Notícias - 24/02/2024 12:38
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação

 O Ministério Público da Paraíba (MPPB) instaurou um novo procedimento administrativo para investigar os desvios de recursos no Hospital Padre Zé, em João Pessoa, durante a gestão do Padre Egídio de Carvalho, que está preso. A investigação também se estende à Ação Social Arquidiocesana.

O processo aberto está sob sigilo e não foi possível identificar se trata-se de um investigação sobre novas denúncias ou se refere ao caso já em andamento referente ao desvio de R$ 140 milhões. No Diário Oficial do MPPB consta apenas que trata-se de uma denúncia anônima.

“Procedimento Administrativo instaurado após o recebimento, nesta Promotoria de Justiça de João Pessoa/PB, de uma denúncia anônima que imputa possíveis irregularidades na gestão dos recursos financeiros destinados ao Instituto São José (Hospital Padre Zé) e à Ação Social Arquidiocesana. As supostas irregularidades teriam sido cometidas pela diretoria dessas entidades”, informa o Diário.

 

As investigações estão sob o comando do 40º promotor de Justiça, Alexandre Jorge do Amaral Nóbrega, das Fundações e Patrimônio Público.

Receba notícias do Portal 1001 Notícias no seu WhatsApp e fique bem informado!

CLIQUE AQUI: https://chat.whatsapp.com/Hemy9YcP49JEvzOrTfbDk

INSTAGRAM - https://www.instagram.com/portal1001noticias/?hl=pt-b

Dúvidas, Críticas, Sujestões? Fale com a gente! Ligue (83) 9 88 66 - 50 11.

Email - redacão1001noticias@gmail.com

Roberto Notícia - Jornalista - DRT 4511/80.  



Compartilhe:


Outras Notícias


  • PREVISÃO DO TEMPO - João Pessoa registra chuva forte e trovões; meteorologia alerta para perigo

  • Federação rachada em João Pessoa: PSDB com Ruy Carneiro e Cidadania com Cícero Lucena

  • POSICIONAMENTO - Adriano Galdino diz respeitar opinião de João Azevêdo, mas não volta atrás em análise política sobre 2026: “Falo o que penso”

avançar voltar