Nutricionista alerta para os sinais de deficiência de vitaminas e minerais no organismo devido às mudanças de hábitos diante da nova estação

Por Jacyara CristinaRedação Por Redação - 01/07/2024 00:09
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação
Foto Reprodução - Montagem: Sistema 1001 Notícias de Comunicação

A mudança de estação, especialmente a transição para o outono e inverno, com um frio mais intenso, pode influenciar os hábitos alimentares e os níveis de atividade física das pessoas, o que, por sua vez, pode afetar a ingestão de vitaminas e minerais. Embora a falta de vitaminas e minerais não seja diretamente causada pela mudança de temperatura, as alterações nos padrões alimentares e na exposição ao sol durante esta estação podem contribuir para deficiências nutricionais

 
Segundo Lucas Lindolfo, docente do curso de Nutrição da Faculdade Anhanguera, as deficiências mais comuns enfrentadas pelas pessoas durante o outono são de vitamina D, vitamina C, zinco e ferro. “Manter uma dieta equilibrada, rica em nutrientes, e considerar a suplementação quando necessário são medidas importantes para prevenir deficiências e promover a saúde geral durante a transição de estação”, explica.
 
 
Para o especialista, essas lacunas surgem, portanto, por consequência de muitas causas, como: menos horas de exposição solar, diminuição do consumo de alimentos frescos e sazonais, e alterações nos hábitos de sono e atividade física. “Outro aspecto a considerar é a sazonalidade de algumas frutas e legumes. A tonalidade de cor dos frutos e legumes, representa o tipo de vitamina existente. Sendo assim é interessante substituir as frutas e legumes em falta por outros disponíveis de mesma coloração para prevenir essas possíveis deficiências”, sugere.
 
Entre os sintomas, Lucas indica: fadiga, baixa imunidade, pele seca, unhas quebradiças, cabelos opacos, entre outros.
 
"As pessoas mais suscetíveis a deficiências de vitaminas e minerais durante o outono são idosas, crianças, pessoas que trabalham em ambientes fechados e indivíduos com dietas restritivas”.
 
Abaixo, o nutricionista dá algumas dicas para manter uma boa saúde durante a transição sazonal de estações. Confira:
 
Vitamina D
 
Com dias mais curtos e menos exposição ao sol durante o outono, a produção de vitamina D na pele pode diminuir. A vitamina D é crucial para a saúde óssea e imunológica. Para compensar a menor produção cutânea, é importante consumir alimentos ricos em vitamina D, como peixes gordurosos (salmão, atum, sardinha), gema de ovo, fígado e produtos fortificados (leite, suco de laranja, cereais).
 
Vitamina C

O outono é uma época em que muitas pessoas ficam mais suscetíveis a resfriados e gripes. A vitamina C é conhecida por fortalecer o sistema imunológico. Incluir frutas e vegetais ricos em vitamina C, como laranjas, limões, kiwis, morangos, acerolas e brócolis, pode ajudar a manter os níveis adequados dessa vitamina.Zinco
 
O zinco desempenha um papel importante na função imunológica e na cicatrização de feridas. Carnes, mariscos, feijões, nozes e sementes são ricos em zinco.
 
Ferro
 
O ferro é crucial para o transporte de oxigênio no sangue. As mudanças de estação podem afetar a dieta e, consequentemente, os níveis de ferro, especialmente em pessoas que já são propensas à deficiência. Carnes vermelhas, aves, peixes, lentilhas, feijões e vegetais de folhas verdes escuras são boas fontes de ferro.
 
Suplementação
 
Em alguns casos, pode ser necessário o uso de suplementos vitamínicos e minerais, especialmente para a vitamina D durante os meses de menor exposição ao sol. Consulte um profissional de saúde antes de iniciar qualquer suplementação.
 
Exposição ao Sol
 
Aproveitar ao máximo os períodos de sol para a síntese de vitamina D, mesmo no outono, pode ser benéfico. Isso pode incluir passeios ao ar livre durante o dia.
 
Hidratação
 
Manter-se bem hidratado também é importante, pois a hidratação adequada ajuda no transporte e absorção de nutrientes no corpo.
 
Monitoramento da Saúde
 
Realizar exames regulares para monitorar os níveis de vitaminas e minerais no sangue, especialmente se houver sintomas de deficiência, como fadiga, fraqueza, problemas de pele ou imunidade baixa.

Contatos para a imprensa - Anhanguera
Deiwerson Damasceno
E-mail: 
deiwerson.santos@cogna.com.br

Telefone: (11) 984553620



Compartilhe:


Outras Notícias


  • Deputado Ruy Carneiro volta a atacar juiz responsável por sua condenação no Caso Desk

  • Curral de Cima promove a 15ª Cavalgada em Defesa do Meio Ambiente no dia 28 de julho

  • RECONHECIMENTO - “É muito bom fazer parte de um governo que vem trabalhado pela Paraíba”, diz Lucas Ribeiro

avançar voltar